Como o novo sistema de imigração do Reino Unido se compara ao do Canadá

À partir de janeiro de 2021, para imigrar para o Reino Unido será necessário não só ter um contrato de trabalho com autorização de trabalho, mas também se qualificar com base em um novo sistema de pontos.

A Grã-Bretanha está implementando um sistema de imigração baseado em pontos no estilo canadense, mas existem algumas diferenças importantes.

A nova lei de imigração da Grã-Bretanha é o resultado de idéias apresentadas em 2019, quando o primeiro-ministro Boris Johnson fez campanha para que os vistos de trabalho fossem reservados para pessoas com pelo menos o equivalente ao ensino médio, um bom nível de inglês, uma promessa de emprego e um salário anualmínimo.

Ao mudar seu sistema de imigração, o Reino Unido dará prioridade a indivíduos altamente qualificados, como aqueles com qualificações científicas, acadêmicas e relacionadas à tecnologia.

A Grã-Bretanha pretende atrair os “melhores” candidatos a imigração

As diretrizes mais recentes do sistema de imigração do Reino Unido foram publicadas na segunda-feira, 13 de julho, e devem mudar o sistema de imigração baseado em pontos do país a partir de 2021.

De acordo com o novo sistema, os estrangeiros que se candidatarem a trabalhar no Reino Unido deverão atender a diversos critérios.

Os indivíduos serão avaliados com base em suas habilidades, qualificações, salários ou profissões específicas, e os vistos serão concedidos somente àqueles que obtiverem os 70 pontos necessários para solicitar um visto.

Os primeiros 50 pontos serão concedidos pelas habilidades em inglês de um candidato e por receber uma oferta de emprego em seu campo de treinamento de um empregador aprovado.

Para obter orestante de pontos exigidos, os aplicantes terão que cumprir outros critérios, como valor de salário, um emprego numa ocupação onde exista escassez de mão-de-obra ou um doutoramento numa área relevante para o seu trabalho.

Aqui está a nova análise do sistema de imigração baseado em pontos do Reino Unido (70 pontos necessários):

• Oferta de emprego (20 pontos);

• O trabalho demanda um nível de habilidade relevante (20 pontos);

• Conhecimento da língua inglesa (10 pontos);

• Trabalho tem um salário de £ 23.040- £ 25.599 (10 pontos);

• Trabalho tem um salário de mais de £ 25.600 (20 pontos);

• Trabalho está na lista de ocupação com escassez de mão de obra (20 pontos)

• Um candidato com doutorado (10 pontos); e

• Um candidato com doutorado em ciência, tecnologia, matemática e engenharia (20 pontos).

 

Como o novo sistema britânico se compara ao sistema canadense

Existem notáveis ​​semelhanças e diferenças entre o futuro sistema britânico e o que o Canadá possui.

O sistema de imigração do Canadá também aloca pontos para habilidades, ocupações e empregos pré-estabelecidos, mas leva em consideração uma ampla gama de outras qualificações, como experiência de trabalho, idade ou perfis de adaptabilidade de trabalhadores altamente qualificados que se candidatam ao status de residente permanente (PR).

Trabalhadores estrangeiros altamente qualificados que nunca moraram no Canadá antes e que enviam um perfil por meio do Express Entry – um sistema de gerenciamento de aplicações de imigração – no Federal Skilled Worker Program (FSWP), por exemplo, precisam obter pelo menos 67 pontos por fatores como:

• Competências linguísticas (máximo 28 pontos);

• Experiência profissional (máximo de 15 pontos);

• Educação (máximo de 25 pontos);

• Idade (máximo 12 pontos);

• Conseguiu emprego no Canadá (máximo 10 pontos); e

• Adaptabilidade (máximo de 10 pontos).

Para se qualificar para a imigração canadense na classe econômica, não é necessário ter uma oferta de trabalho ou um determinado limite salarial.

Além disso, candidatos à imigração com experiência de trabalho Canadense em qualquer ocupação qualificada (NOCs O, A ou B) podem ser convidados a se inscrever para residência permanente no Canadá através do sistema Express Entry ou dos sistemas provinciais. O Canadá possui rotas federais e provinciais de imigração econômica, e cada uma tem seu próprio critério de experiência profissional. Certos programas provinciais de candidatos (PNPs) estão abertos a candidatos em linhas de trabalho específicas que atendem às necessidades regionais de mão-de-obra.

Um sistema chamado de Comprehensive Ranking System (CRS), que determina a posição de um candidato no pool, considera apenas a quantidade de experiência de trabalho em tempo integral ou equivalente em tempo parcial e se a ocupação é considerada “qualificada”.

As ocupações elegíveis são aquelas classificadas como tipo 0 (gerencial), tipo A (profissional) ou tipo B (técnico), segundo a Classificação Ocupacional Nacional (NOC) do Canadá.

Outros programas, como o Piloto de Imigração do Atlântico ou de British Columbia, exigem experiência profissional em NOCs do tipo 0, A, B, C ou D (intermediário).

Como o Canadá tem uma população pequena e uma força de trabalho envelhecida, ele se esforça para facilitar ao máximo o acesso dos imigrantes à força de trabalho e ao status de residentes permanentes.

O Canadá investiu muito esforço nas últimas décadas para desenvolver e oferecer uma ampla gama de vias de imigração para garantir que possa atender às necessidades de um número maior de imigrantes em potencial. Imigrantes que, por sua vez, podem trazer uma variedade de habilidades e fazer contribuições positivas para uma gama crescente de setores e mercados.

É responsabilidade de todos os países desenvolver políticas de imigração que julgue serem do seu interesse. As reformas iminentes do Reino Unido e seus resultados serão interessantes para acompanhar e examinar nos próximos meses e anos.

Estudar e trabalhar no Canadá para imigrar

A vantagem do Canadá também se deve ao amplo pacote de oportunidades para Estudar e trabalhar no Canadá para depois imigrar, ou seja o caminho “estudo-trabalho-imigração” que o país oferece a estudantes internacionais.

Ao contrário de outros países, o Canadá permite que estudantes internacionais trabalhem em período parcial durante seus estudos, para que possam se sustentar financeiramente.

Após concluir sua educação no Canadá, eles são elegíveis para uma Permissão de Trabalho de Pós-Graduação (PGWP), que lhes permite permanecer no Canadá e buscar oportunidades de emprego em período integral por até três anos.

Os estudantes internacionais que desejam se estabelecer no Canadá recebem pontos extras através do sistema federal Express Entry e também têm inúmeras vias de imigração provinciais à sua disposição.

Este caminho de Estudar e Trabalhar no Canadá, para depois imigrar, faz sentido em várias frentes:

– O Canadá precisa de imigrantes devido ao envelhecimento da população e à baixa taxa de natalidade. A pesquisa do Statistics Canada mostra que os estudantes internacionais que se tornam imigrantes são bem-sucedidos no mercado de trabalho por serem jovens, bem-educados, ter experiência no trabalho no Canadá e falar Inglês e / ou Francês fluentemente. Pesquisas sugerem que metade dos estudantes internacionais do Canadá espera construir uma vida no país.

– A abordagem do Canadá em relação aos estudantes internacionais reconhece que eles podem beneficiar comunidades menores. Os estudantes internacionais que já vivem em uma comunidade menor constroem conexões lá e têm maior probabilidade de ficar do que indivíduos sem vínculos com a comunidade.

A Canada Journal é uma empresa consultoria educacional e imigração. Oferecemos consultoria sobre programas de estudo, instituições de ensino, processo de matrícula, visto, seguro de saúde, acomodação e traslado – sem custo para o aplicante.

Com 38 anos de know-how e experiência no mercado, somos parceiros de mais de 100 instituições de ensino canadenses e são elas que nos remuneram pela ajuda prestada aos interessados em estudarem nessas instituições.

Gostou? Entre em contato com a gente e vamos juntos nesta jornada. 🙂

Estamos à disposição pelo whatsapp ou pelo email contato@canadajournal.com

Assine nossa newsletter

Deixe seu e-mail e receba em primeira mão as novidades do Blog da Canada Journal.